Design Thinking: Porque aplicar no seu negócio?

Design Thinking

 

Design Thinking trata-se de uma abordagem, uma forma criativa de encontrar soluções para quaisquer problemas. 

Esta metodologia combina a criatividade de um designer com o pensamento de um gestor. Permite  criar condições que potenciem o pensamento criativo de um designer na elaboração de ideias e soluções inovadoras para empresas. 

A grande diferença no Design Thinking é que o seu foco é a experiência do consumidor, ou seja, a forma como este se comporta e as suas necessidades e desejos. O desafio desta abordagem é responder de forma criativa às necessidades dos consumidores, proporcionando às empresas inovação na sua oferta.

  • Porque aplicar o Design Thinking ao seu negócio?

Primeiro, é importante compreender os motivos pelos quais a aplicação do Design Thinking é benéfica para o seu negócio.

Utilizar o Design Thinking na sua empresa permite-lhe aumentar a sua vantagem competitiva a longo prazo, devido a proporcionar um olhar mais claro sobre a inovação centrada na experiência dos consumidores.

A Business Avenue apresenta-lhe vantagens associadas à aplicação desta metodologia na sua empresa:

1 – Custo vs Benefício

A implementação da metodologia Design Thinking não tem grandes custos associados.

As adaptações necessárias à cultura organizacional são talvez o maior custo que terá de enfrentar, de forma a direcionar a sua equipa de trabalho para uma nova abordagem que proporciona múltiplos benefícios à sua empresa.

2 – Diferenciação

A utilização de um pensamento criativo na criação de soluções proporciona diferenciação face aos seus concorrentes, Assim, conduz a sua empresa à autoridade de mercado, assim como à potencialização de lucros.

3 – Produtividade

Ao implementar uma metodologia inovadora na sua empresa, os seus colaboradores irão sentir-se valorizados por fazerem parte de algo inovador. O que gera motivação e, por sua vez, aumenta a produtividade da equipa.

4 – Eficiência

Com a utilização do Design Thinking, a sua empresa será muito mais eficiente a encontrar as soluções mais indicadas para melhorar a experiência dos seus consumidores.

  • Como aplicar o Design Thinking?

De seguida, é importante compreender as várias etapas necessárias para aplicar o Design Thinking.

Para começar a aplicar a metodologia Design Thinking é necessário adaptar a cultura organizacional da sua empresa.

Os recursos humanos têm uma certa adversidade à mudança, por isso deve ser um processo contínuo para que os mesmos criem empatia e comecem a colaborar uns com os outros com base na experiência que terão com o novo método de trabalho.

Geralmente o Design Thinking é um processo realizado em grupo e divide-se em etapas.

Design Thinking Etapas Design Thinking

1 – Empatia:

Primeiro deve começar por compreender a situação com que se depara. Abandone os pressupostos e as ideias preconcebidas sobre a temática que vai trabalhar e mergulhe nela de forma a compreender a raiz do problema. A criação de empatia irá ajudá-lo a compreender as necessidades e desejos dos seus clientes.

Dica: Faça uma Análise SWOT

2 – Definição:

Após a realização do diagnóstico da empresa e de uma profunda análise interna e externa, já tem os recursos necessários para definir o ponto de partida e o rumo que irá ter. 

3 – Idealização:

Esta é a fase de gerar soluções, coloque a sua criatividade a funcionar e proponha soluções com base no que analisou na primeira fase e no que decidiu na segunda.

Dica: Organize a sua equipa e faça Brainstormings ou utilize a técnica dos 6 Chapéus do Pensamento.

4 – Protótipo:

Nesta fase deve afunilar as soluções encontradas e começar desenvolver protótipos da sua solução, de modo a perceber viabilidade e se a sua proposta é ou não exequível.

Dica: No caso de produtos pode realizar maquetes e no caso de serviços pode criar representações gráficas.

5 – Testar:

Por fim, realizam-se os testes dos protótipos. Nesta fase, deve proporcionar uma interação com o consumidor para avaliar e perceber o que é funciona, o que não funciona e o que é preciso melhorar.

Um profissional de Design Thinking, assim como competências técnicas e práticas, tem de ter a capacidade de criar empatia com os seus clientes, de trabalhar em equipa, de liderar, de comunicar corretamente os objetivos e metas e sobretudo de dar asas à criatividade.

A Business Avenue incorpora a metodologia Design Thinking nos seus serviços de gestão de projetos. Comece já a incorporar esta abordagem na sua empresa.

Já conhece os serviços da Business Avenue? Entre em contacto para saber mais informações.

Fonte:

Como definir uma Estratégia de Marketing

Estratégia de Marketing

Uma estratégia de marketing consiste em ações que ajudam a promover e a enaltecer os pontos fortes da empresa, de forma a que esta ganhe mais credibilidade e reconhecimento no mercado em que atua.

A elaboração de uma estratégia de marketing de sucesso permite entregar valor aos clientes e construir relacionamentos duradouros e lucrativos com os mesmos.

estratégia de marketing

  • Porque é importante definir uma estratégia de marketing?

Menos gastos e mais ROI:

Com estratégias bem definidas, é possível prever o impacto que as medidas decididas terão, bem como o retorno que as mesmas proporcionarão à empresa. O que irá resultar num planeamento para que o ROI seja sempre o mais alto possível.

Equipas mais alinhadas:

Quando os colaboradores sabem exatamente para o que estão a trabalhar e qual o propósito das suas tarefas, ficam mais motivados e envolvem-se mais com o trabalho. O que gera equipas mais dinâmicas. 

Leia o post da Business Avenue sobre como alimentar a cultura organizacional da sua empresa.

Menos imprevistos: 

Quando tem as estratégias definidas, diminui o risco de fracasso com imprevistos, porque tem um planeamento sólido e preparado para tais acontecimentos.

Adaptação:

As estratégias de marketing devem ser definidas com base na satisfação das necessidades e desejos do seu público. E a qualquer momento podem e devem ser adaptadas a novas tendências que possam beneficiar ambas as partes.

 

 

  • Como definir uma estratégia de marketing de sucesso?

Os métodos mais adequados variam de acordo com a sua área de negócio e com os objetivos que pretende atingir.

No entanto, a Business Avenue apresenta-lhe os vários fatores a definir para estruturar uma estratégia de marketing de sucesso:

Análise de Oportunidades:

Comece por analisar o setor do seu negócio, o que os seus concorrentes fazem e o que o mercado está a pedir. Analise os pontos fortes e fracos do seu negócio. E, de seguida, identifique as oportunidades que surgem da análise interna e externa.

Objetivos:

Os objetivos devem seguir a metodologia SMART, sendo Simples, Mensuráveis, Aplicáveis, Realistas e Temporais.

Personas:

Saber para quem a sua empresa pretende comunicar, é um grande passo para que as estratégias de marketing sejam bem direcionadas. Comece por criar as suas personas, personagens fictícias que representam o perfil geral dos seus clientes.

Storytelling:

Tenha presente a história e a essência que pretende transmitir na implementação das suas estratégias. As pessoas gostam de ouvir histórias e de se identificarem com elas, criando uma relação mais emocional com a marca.

Canais de marketing:

É importante que esteja presente em diversos canais. Mas tenha atenção e perceba quais os canais que fazem sentido para o seu negócio e para a sua estratégia. Alguns dos canais que complementam a sua estratégia são as Redes sociais, os Blogs, o E-mail marketing, as plataformas de vídeo, a otimização do SEO, entre outros.

KPI’s:

Definir metas é uma das fases mais importantes. De nada vale definir estratégias e implementa-las se não tiver decidido onde pretende chegar. Por isso os key performance indicators permitem medir a performance dos seus canais e avaliar métricas como o alcance, a captação de leads, a conversão, as vendas, o engagement, entre outras.

Cronograma de ações:

Crie um cronograma com todas as ações de marketing, acompanhadas de uma calendarização e da sua forma de execução. Assim, será muito mais simples de implementar as ações e evitará possíveis erros.

A Business Avenue tem o serviço Innovate Consulting, onde também elabora estratégias de marketing, feito a pensar nas necessidades do seu negócio.

 

Entre em contacto para saber mais informações.

Saiba como contornar as objeções de clientes

Contornar objeções de clientes

As objeções apresentadas pelos clientes são um obstáculo no processo de venda, e quando não consegue contornar as objeções de forma correta, podem ser o suficiente para que uma venda não seja fechada.

Já lhe aconteceu não conseguir contornar objeções de clientes durante uma venda?

Não se preocupe, a Business Avenue apresenta-lhe um conjunto de sugestões para contornar essas situações e obter o resultado que pretende, o Fecho da Venda.

Antes da reunião com o seu cliente, pense em como vai ser o desenrolar da sua conversa e em todos os pontos que vai abordar.

Uma pesquisa sobre o cliente também será um bom ponto de partida, para que consiga conhecer melhor a personalidade da pessoa com que vai falar e a melhor abordagem a adotar para o contorno das objeções.

A Business Avenue apresenta-lhe sugestões de como contornar objeções de clientes:

  1. Contornar as objeções dos clientes

Deve anuir, indagar ou mesmo repetir a sua objeção, de forma a ter a certeza do que está a atormentar o seu cliente. Assim, ele irá sentir que tem a sua atenção e estará muito atento ao que lhe vai dizer. É neste momento que lhe irá colocar em prática as formas de contornar as objeções:

– Compensação

Apresentando motivos válidos que anulem a objeção e reforcem a proposta.

– Comprovação

Onde deve apresentar provas que confirmem o que tinha dito anteriormente.

– Conciliação

Indicando que as pessoas que mais ficam satisfeitas com o produto/serviço em questão, são pessoas com necessidades idênticas às do seu cliente.

– Constatação

Reforçando que já mais pessoas pensaram da mesmo forma, mas que depois perceberam que de facto era algo mesmo bom.

  1. Transforme as afirmações em questões

Faça uma lista de todas as questões que pretende colocar ao seu cliente.

Existem formas específicas de fazer as questões para que consiga levar a conversa no sentido que pretende.

Por exemplo, quando faz uma questão e a termina com “concorda?” ou “o que pensa de…?”.

  1. Apresentação do preço

Antes de anunciar o preço do que vai vender, tem de transmitir os benefícios que o cliente irá obter. De forma a enfatizar o valor do produto/serviço, para que no momento em que diz o preço, a aversão não ser tão grande. Uma vez que, de facto, o seu produto/serviço vale esse preço.

Saiba mais sobre Preço vs. Valor.

 

  1. Evite as expressões negativas

A palavra “não” tem uma carga muito pesada numa negociação, tente evitá-la durante o seu discurso.

Alguns exemplos de expressões a que pode recorrer:

  • Não diga “Eu não posso”, mas sim “O que eu posso é”.
  • Em vez de “Não tenho”, diga “De momento tenho estes”.
  • “Não sei” é uma expressão que não deve usar, mas sim “Vou informar-me melhor acerca de”.

O contorno de objeções é sem dúvida uma tarefa difícil de implementar, porém, não é impossível!

Aproveite estas dicas para começar já a praticar a sua performance em negociação e contornar as objeções de clientes.

A Business Avenue tem uma série de serviços disponíveis à medida das suas necessidades.

Para mais informações, não hesite em contactar!

Regras de ouro para Trabalhar Remotamente

Regras de ouro para trabalhar remotamente

Regras Ouro Trabalhar Remotamente.

Trabalhar remotamente é uma realidade a que as empresas se começam a habituar. Não apenas pelo contexto pandémico que levou à implementação forçada e rápida deste método, mas também, pelas facilidades que proporciona às empresas e aos colaboradores. Afinal, trabalhar remotamente também tem inúmeras vantagens. Continue a ler para conhecer algumas regras de ouro que o irão ajudar!

Tem sentido dificuldades em implementar regras para trabalhar remotamente?

Neste post, são apresentadas algumas regras para trabalhar remotamente, de forma a manter os níveis de produtividade elevados, o foco nos objetivos, e ainda uma comunicação que promova o trabalho em equipa, ainda que à distância.

    1. Agende conversas ou simples momentos de troca de ideias diários.
      Mantém o espírito de equipa e permite explorar a criatividade individual, mesmo que à distância.
    2. Identifique o melhor horário e faça com que a sua e-meeting tenha 100% de participação.
    3. Plataformas que o auxiliam com o trabalho remoto: Zoom, Teams, Hangouts, entre outras.
    4. Comunicar, comunicar e comunicar… É muito importante que o faça, e que incentive a sua equipa a fazê-lo também.
    5. Seja flexível e compreensivo(a) em relação à dinâmica horária da sua equipa, que pode ser diferente em função das rotinas individuais Em equipa deverá determinados momentos do dia, nos quais todos têm de estar disponíveis e online.
    6. Crie um guião para si e para a sua equipa para que a informação seja clara e intencional.
      Na Business Avenue, utilizamos esta estrutura:
        • Definição do problema
        • Motivo do problema
        • Apresentação da solução
        • Ferramentas necessárias para a sua resolução
    7. Não perca o foco dos seus KPI’s. Defina metas para os seus colaboradores e parceiros, e comunique estas informações à sua equipa regularmente.

Como tem estado a correr a sua experiência de trabalho remoto?

Trabalhar remotamente pode ser mais produtivo e proporcionar uma maior qualidade de vida, contudo, obriga a um esforço extra na comunicação de objetivos e metas.

Na Business Avenue utiliza-se o Clickup como plataforma de gestão de projetos.

No entanto existem outras ferramentas que poderão ser mais eficazes para si, como por exemplo, o Trello e o Monday.

Pesquise sobre estas ferramentas e escolha a que melhor se adapta às necessidades do seu negócio.

 

Partilhe nos comentários as suas estratégias e regras para trabalhar remotamente.

A Business Avenue pode ajudá-lo a criar uma organização de trabalho compatível com as necessidades do seu negócio.

Entre em contacto!

Tendências dos Millennials no mercado de trabalho

Millennials no Mercado de Trabalho

A geração que sucedeu a geração X, é a estrela deste post e, por isso, será lhes dedicada toda a atenção. É muito importante conhecer as tendências dos Millennials no mercado de trabalho.

São eles os Millennials, ou Geração Y, que têm hoje idades entre os 25 e os 41 anos. O que o leva a compreender que grande parte dos seus colaboradores e que a oferta disponível no mercado do trabalho, pertence, na sua grande maioria a esta geração.

No entanto, já se questionou sobre como se caraterizam os Millennials no mercado de trabalho?

É, de facto, um assunto muito interessante e repleto de curiosidades que o auxiliarão a reter o máximo de talento destes indivíduos.

A geração em questão assistiu a uma das maiores revoluções de todos os tempos, os primeiros saltos tecnológicos, o que influenciou bastante aquilo que é a realidade desta geração, face à expectativa que foi criada pelos seus antecessores.

A expectativa que foi criada para os Millennials consistia numa continuação do percurso da Geração X. Com uma ideia preconcebida de que o ideal seria ir trabalhar para uma empresa, na qual ficaria efetivo e a trabalhar por muitos anos, ansiando por uma ascensão interna, que nem sempre acontecia.

Tudo isto para se comprar uma casa, um carro, ter filhos…

No entanto, a realidade é completamente oposta.

As tendências mais encontradas nos Millennials no mercado de trabalho são o facto de serem pessoas com altos níveis de escolaridade, porém muito autodidatas no que respeita à procura por novos conhecimentos. Gostam de se manter informados. Não tivessem sido eles os que assistiram e experienciaram em primeira mão os primeiros passos do mundo mais digital e tecnológico.

São pessoas muito calculistas, analisam todos os pormenores antes de tomarem uma decisão. Não se deixam enganar facilmente, pois antes de decidirem algo, pesquisam bastante sobre a questão.

Tornaram-se numa geração que questiona, que é ambiciosa, conhecidos pelo seu pensamento revolucionário. Gostam de inovar e de transformar os sítios onde passam. Valorizam a experiência que obtém, ainda que de algo momentâneo, ao invés da posse de bens materiais.

Pretende saber como reter o talento desta geração na sua empresa?

Os Millennials não são indivíduos fáceis de manter numa empresa por um longo período de tempo. Não basta oferecer-lhes um bom ordenado, acompanhado de regalias.

Esta geração valoriza a experiência que vai ter na empresa em questão. Ambiciona ter espaço para poder contribuir, propor, transformar, são inovadores e insatisfeitos por natureza, uma vez que procuram sempre mais e melhor. E não têm qualquer aversão à mudança, contrariamente à geração anterior à sua.

Se pretende reter o talento desta geração na sua empresa, precisa de criar condições para a manter o mais satisfeita possível.

Quanto mais criativo for na forma como lida com estes talentos, melhor!

A Business Avenue apresenta-lhe algumas sugestões:

  • Procure proporcionar-lhes experiências diferentes

  • Proponha tarefas desafiantes

  • Desafie as suas capacidades

  • Dê espaço para manifestarem a sua opinião

  • Apresente críticas construtivas

  • Não alimente tarefas rotineiras

  • Afaste-se dos métodos tradicionais

  • Invista em tecnologia

Concorda com esta perspetiva em relação aos Millennials no mercado de trabalho?

Deixe a sua opinião nos comentários. E se tiver mais sugestões de como reter talentos desta geração, não hesite em partilhar!

Entre em contacto com a Business Avenue!

Fontes:

Tendências Globais de Engajamento dos Funcionários 2018

Como otimizar o Funil de Vendas: Lista do que fazer

Funil de Vendas

Se otimizar o seu Funil de Vendas, como resultado conseguirá compreender a Jornada do Consumidor, desde o momento em que este se torna um visitante tendo o 1º contacto com a sua empresa, até ao momento da decisão de compra.

Ante de mais, se pretende otimizar o seu Funil de Vendas, de forma a tirar vantagem do mesmo, primeiramente deve traçar as suas personas. A suas personas são personagens fictícias que representam os seus consumidores.

De seguida, deve conhecer a Jornada do Consumidor.

Assim, fica a saber todos os passos que o seu consumidor dá quando se apercebe da sua necessidade, enquanto inicia a sua procura pelo produto/serviço em questão, o que ele encontra, até que realiza a compra.

Após o conhecimento das Personas e da Jornada do Consumidor, é a altura para trabalhar o seu Funil de Vendas. Dessa forma, conseguirá ir ao encontro dos seus objetivos.

Para o ajudar nessa tarefa, a Business Avenue disponibiliza-lhe uma lista que irá otimizar o seu Funil de Vendas.

1-         Chamar a atenção do cliente:

Utilize uma imagem atrativa e pratique uma comunicação direcionada.

2-         Falar sobre a dor do seu cliente:

Analise a dor do seu cliente, o seu propósito, o seu sonho, o que o faz mover. De modo, a conseguir falar sobre esse objetivo em específico.

3-         Criar empatia:

Invista na criação de empatia com o seu cliente, e obtenha, uma relação longa e um lifetime value maior que o esperado.

4-         Apresentar elementos de autoridade:

Sempre que falar com o seu cliente, apresente alguns elementos que validem o seu know-how, e a autoridade que tem sobre o assunto em questão.

5-         Matar as objeções:

Faça uma lista de objeções que o seu cliente possa apresentar. Para cada objeção, escreva todos os argumentos possíveis para as eliminar e esteja preparado para os expor.

6-         Apresentar provas sociais:

Tenha consigo elementos que possam realmente validar a autoridade que está a afirmar ter. Por exemplo, logótipos de clientes, parceiros, colegas, entre outros.

7-         Dar garantias:

Garanta que o serviço que está a oferecer, é feito com qualidade, com profissionalismo, com tudo aquilo que o seu cliente procura.

8-         Mostrar que o seu produto/serviço é único:

Aposte em apresentar e valorizar a qualidade inerente ao seu serviço, bem como com os atributos que tem.

Considera que esta lista é uma grande ajuda?

Por fim, sugerimos que comece já a colocar em prática as dicas que lhe oferecemos, bem como a tirar o máximo de proveito do seu Funil de Vendas!

Em caso de alguma dúvida ou esclarecimento, entre em contacto com a Business Avenue!

Subscreva a nossa newsletter

A Empresa

Media

Serviços

Executive Academy

E-books

Contactos

Logo Business Avenue